Loading...
Historico 2017-08-27T21:41:37+00:00

A Nossa História

O crescimento dos centros urbanos, conjugado com o desenvolvimento do comércio grossista e retalhista, levou a que a maior parte dos países europeus empreendesse, durante a década de 60 e princípios da década de 70, ações de modernização e
desenvolvimento dos mercados grossistas de bens alimentares que tradicionalmente se localizavam no centro da cidade.

As preocupações de ordenamento urbano, o crescimento da circulação viária de mercadorias e o próprio desenvolvimento da rede de transportes, conduziram a que estas infraestruturas fossem progressivamente instaladas na periferia das grandes cidades.

Em Portugal, mercê de um conjunto de circunstâncias a que não foi alheio o ambiente político existente na década de 60 e princípios de 70 e a própria dificuldade para disponibilizar os recursos financeiros indispensáveis para acompanhar o processo então em curso na Europa, os mercados grossistas, ditos na terminologia nacional como Mercados Abastecedores, mantiveram no essencial a estrutura resultante dos
poucos investimentos que neles se efetuaram durante os anos 30.

Constituíam, assim, espaços que funcionavam em regime perfeitamente “espontâneo”, ou estruturas que se encontravam ainda localizadas no centro das cidades, sem condições de higiene, sanidade ou de logística para as funções que eram chamadas a desempenhar.

Os Mercados Abastecedores portugueses constituíam, por isso, infraestruturas bloqueadoras no processo de modernização e melhoria da eficiência dos circuitos de distribuição e um fator de perturbação da organização da vida urbana, condicionando mesmo ações indispensáveis ao seu ordenamento.

Esta situação atingia particular acutilância na região de Lisboa, onde as estruturas existentes se mostravam claramente incapazes de responder às crescentes necessidades da vida urbana e da evolução do consumo e da distribuição agroalimentar.

É neste contexto que, em 1991, o Governo, através da Resolução do Conselho de Ministros 16/91, de 15 de Maio, tomou uma decisão inequívoca de apoio ao processo de instalação de um conjunto de Mercados Abastecedores a nível nacional, em que o da Região de Lisboa assumiu caráter prioritário.

Em 1993, quando foi criada, a SIMAB, SA tinha como objetivo, no essencial, a instalação de um conjunto de modernos mercados abastecedores, os quais deveriam constituir a rede nacional de mercados abastecedores criados como um conjunto estratégico de modernos Centros de Logística e de Distribuição Alimentar.

Com o passar dos anos, estas plataformas tornaram-se verdadeiros polos de desenvolvimento económico, fundamentais no apoio à produção nacional, à organização e à modernização do comércio.

De igual modo, ao longo do tempo, o Grupo SIMAB, SA alienou algumas das suas participações acionistas (2011 – Mercado Abastecedor da Região de Coimbra; 2008 – Mercado Municipal de Faro; 2006 – Mercado da Cova da Beira), mantendo outras, e foi objeto de ações tendentes à sua privatização total.

A SIMAB é hoje acionista maioritária do Mercado Abastecedor da Região de Lisboa (MARL), do Mercado Abastecedor da Região de Braga (MARB), do Mercado Abastecedor da Região de Évora (MARE) e do Mercado Abastecedor da Região de Faro (MARF).

Conselho de Administração

2016

Presidente – Rui Paulo da Silva Soeiro Figueiredo

Presidente – Rui Paulo da Silva Soeiro Figueiredo

Presidente – Rui Paulo da Silva Soeiro Figueiredo Vogal – Gonçalo Matos Correia Castro de Almeida Velho Vogal – Rui Manuel Pereira Martins Vogal – Ricardo Afonso Pinho de Almeida Vogal – Maria José Coutinho Portela Cabral de Almeira Bettencourt Rego Vogal – Ana Paula dos Santos Vinagre Dias Rosário Voltar atrás

Ver Mais
2015

Presidente – David
da Piedade Ferreira

Presidente – David <br/>da Piedade Ferreira

Presidente – David da Piedade Ferreira Vogal – Miguel Rocha Ferreira Roquette Vogal – Miguel Sabino de Abreu e Franco Vogal – José Duarte Piteira Rica Silvestre Cordeiro Vogal – Ana paula dos Santos Vinagre Dias Rosário Voltar atrás

Ver Mais
2013

Presidente – Carlos António Loureiro Barrocas

Presidente – Carlos António Loureiro Barrocas

Presidente – Carlos António Loureiro Barrocas Vogal – Fernando Jorge Abrantes Angleu Teixeira Vogal – David da Piedade Ferreira Vogal – Paulo Mateus Calado Vogal – Norberto Manuel Soares Coelho Voltar atrás

Ver Mais
2012

Presidente – Carlos António Loureiro Barrocas

Presidente – Carlos António Loureiro Barrocas

Presidente – Carlos António Loureiro Barrocas Vogal – Fernando Jorge Abrantes Angleu Teixeira Vogal – David da Piedade Ferreira Vogal – Norberto Manuel Soares Coelho Voltar atrás

Ver Mais
2010

Presidente – Rui Manuel Oliveira Prata Caballero y Serodio

Presidente – Rui Manuel Oliveira Prata Caballero y Serodio

Presidente – Rui Manuel Oliveira Prata Caballero y Serodio Vogal – José Carlos de Araújo Gomes Cid Proença Vogal – Jorge Manuel de Andrade Barroso e Silva Marques Vogal – António Santos Luís Vogal – Norberto Manuel Soares Coelho Voltar atrás

Ver Mais
2008

Presidente – Rui Manuel Oliveira Prata Caballero y Serodio

Presidente – Rui Manuel Oliveira Prata Caballero y Serodio

Presidente – Rui Manuel Oliveira Prata Caballero y Serodio Vogal – José Carlos de Araújo Gomes Cid Proença Vogal – Jorge Manuel de Andrade Barroso e Silva Marques Vogal – António Santos Luís Vogal – Norberto Manuel Soares Coelho Voltar atrás

Ver Mais
2007

Presidente – Rui Manuel Oliveira Prata Caballero y Serodio

Presidente – Rui Manuel Oliveira Prata Caballero y Serodio

Presidente – Rui Manuel Oliveira Prata Caballero y Serodio Vogal – José Carlos de Araújo Gomes Cid Proença Vogal – Jorge Manuel de Andrade Barroso e Silva Marques Vogal – José António Moreira Marques Vogal – António Santos Luís Norberto Manuel Soares Coelho Voltar atrás

Ver Mais
2005

Presidente – Rui Manuel Oliveira Prata Caballero y Serodio

Presidente – Rui Manuel Oliveira Prata Caballero y Serodio

Presidente – Rui Manuel Oliveira Prata Caballero y Serodio Vogal – José Carlos de Araújo Gomes Cid Proença Vogal – Manuel Augusto Lopes de Lemos Vogal – José António Moreira Marques Vogal – Luís Manuel Santos Matias Voltar atrás

Ver Mais
2003

Presidente – Frederico José de Melo Franco

Presidente – Frederico José de Melo Franco

Presidente – Frederico José de Melo Franco Vogal – João Carlos Cardoso de matos Lima Vogal – Manuel Augusto Lopes de Lemos Vogal – Maria Teresa Rodrigues Pintado Maury Vogal – Luís Manuel Santos Matias Voltar atrás

Ver Mais
2000

Presidente – Nuno Manuel Pereira Baltazar Mendes

Presidente – Nuno Manuel Pereira Baltazar Mendes Vogal – Umberto Pereira Pacheco Vogal – Maria do Carmo Romão Sacadura dos Santos Vogal – Carlos Miguel Fontão de Carvalho Vogal – Paulo Jorge Guedes da Silva Voltar atrás

Ver Mais
1999

Presidente – Carlos Manuel Dessa Gomes de Almeida

Presidente – Carlos Manuel Dessa Gomes de Almeida Vogal – Umberto Pereira Pacheco Vogal – Maria do Carmo Romão Sacadura dos Santos Vogal – Carlos Miguel Fontão de Carvalho Vogal – Paulo Jorge Guedes da Silva Voltar atrás

Ver Mais
1996

Presidente – Carlos Manuel Dessa Gomes de Almeida

Presidente – Carlos Maniel Dessa Gomes de Almeida Vogal – Umberto Pereira Pacheco Vogal – Maria do Carmo Romão Sacadura dos Santos Vogal – Tomás Henrique Ferreira Leiria Pinto Vogal – António Manuel Pombinho Costa Guilherme Voltar atrás

Ver Mais
1994

Presidente – Jorge Manuel Águas
da Ponte e Silva Marques

Presidente – Jorge Manuel Águas <br/>da Ponte e Silva Marques

Presidente – Jorge Manuel Águas da Ponte e Silva Marques Vogal – António Manuel Pombinho Costa Guilherme Vogal – Maria Fernanda Cardodo Correia da Mota Pinto Vogal – Luís Filipe Ferreira Simões Vogal – José António da Costa Martins Moreira Voltar atrás

Ver Mais
1993

Presidente – Jorge Manuel Águas
da Ponte e Silva Marques

Presidente – Jorge Manuel Águas <br/>da Ponte e Silva Marques

Presidente – Jorge Manuel Águas da Ponte e Silva Marques Vogal – Demétrio Carlos Alves Vogal – Maria Fernanda Cardoso Correia de Mota Pinto Voltar atrás

Ver Mais